Reflexões sobre Escalada Esportiva

Arquivo para novembro, 2012

Petzl RocTrip II – Os Preparativos

Faltam menos de 10 dias para eu embarcar no Galeão rumo a Buenos Aires e em seguida Bariloche. Os preparativos estão em andamento: organização do que levar, logistica na Argentina e treinamento.

Com relação ao que levar, cheguei a conclusão que tenho que levar tudo, já que meus companheiros de viagem voltam antes. Fiz uma lista mental e vou tentar não deixar a arrumação para a última hora, como costumo fazer com tudo na minha vida: barraca, saco de dormir, isolante, roupa de frio, roupa de climb, corda, bouldrier, sapatilha, magnésio, costuras, head lamp, artigos de higiêne pessoal e alimentação… Espero que caiba na minha mochila nova!

Na Argentina, eu e a Glauce Ibraim decidimos ficar do dia 17 ao dia 19 escalando em Bariloche antes de irmos pro pico do evento, no dia 20, que será nosso primeiro (e talvez único) dia de descanso. O alemão Sebastian Gaus gostou da ideia e se encontrará conosco em Bariloche no dia 18.

Através de indicações, a região El Trebol me interessou bastante, em especial o pico Pared Blanca, com vias de 15 a 20 metros, que pelo croqui parecem ser bem exigentes – http://www.barilochevertical.com.ar/Trebol.html.

Assim que chegarmos à Bariloche, o mais prudente, antes de pensar em escalar, será comprar a passagem de ônibus para Esquel – pelo o que eu vi no site, vende na Agencia Oficina Centro Via Bariloche Mitre 321. Até tentei comprar pela internet, mas o site da companhia de ônibus é uma porcaria e não consigo marcar o assento, o que impossibilita fechar a compra.

Piedra Parada, Chubut, Argentina. Foto: Petzl.

De Esquel para Piedra Parada, a Petzl está organizndo junto a Jacobsen Transport ônibus para levar a galera para a Piedra Parada, em diferentes horários entre os dias 19 e 28 de novembro, assim como para a viagem de volta para Esquel. As opções de horário para a ida são 7h e 18h e para a volta a Esquel são 6h, 10h e 17h. Recebi esses horários por e-mail e já respondi informando os ônibus que pretendo pegar – ida: 18h e volta 6h.

Para mais informações sobre o Petzl RocTrip, clique aqui.

Arredores da Piedra Parada, Chubut, Argentina. Foto: Petzl.

Com os transportes na Argentina organizados (na medida do possível) e uma ideia clara do que levar (tudo), agora vem a parte mais legal dos preparativos: o treinamento que antecede uma viagem!

Estou focando completamente em resistência e treinando força a partir de exercícios no campusboard – os boulders foram deixados de lado. Além disso, tenho escalado bastente na pedra, repetindo várias vias que já tinha mandado antes da lesão para fazer volume. Já tendo cinco semanas desde que eu voltei a escalar, repeti as vias Bom Dia África (8a), Epitáfios das Ilusões (7c), Zona Morta (8b), Pedrita (8a), Migalhas Indecentes (8a/b), Kalya (7c), Ramos (8b) e Diabo Verde (8c), todas com relativa facilidade! Tentei, também, entrar em vias mais longas em São Bento, como a lindíssima Despertar de Ícaro (8b) e pretendo neste final de semana retornar à Barrinha, falésia conhecida por suas vias longas de resistência.

Motivação total para treinar e escalar, mal posso esperar pela viagem!


Cadenas e novo projeto em São Bento do Sapucaí

Continuando o tema trip eterna, este feriado, de forma inédita, fui para São Bento do Sapucaí. Em um carro em que a lingua predominante foi o alemão, saí quinta-feira à tarde, com Malte Heuer, Richard Steidel e Sebastian Graus, em direção à tão querida e frequentada São Bento.

Chegamos e fomos direto jantar no restaurante Sabor da Serra, onde comi uma batata mutante e bebemos várias cervejas a espera de Raphael Gibara, que foi mais tarde.

Na sexta-feira, acordei bem cedo para pegar o francês Kumar Frhuk na rodoviária e em seguida, Luana Riscado e Glauce Ibraim chegaram na casinha já animando pro climb. Como o tempo estava meio chuvoso, decidimos ir para a Falésia dos Olhos, onde eu tinha deixado pendente a via Despertar de Ícaro (8b).

Desde a última ida para São Bento, fiz três treinos de resistência, que se mostraram bem efetivos, pois no segundo pega do dia na via, totalizando quatro no total, batalhando contra o braço esquerdo tijolado de tanto atrito para puxar a corda e costurar, saiu a cadena da Despertar! Fiquei bastate surpresa e feliz com o rápido resultado do treino de resista.

A via sugou toda a minha energia, afinal são uns 30 metros de escalada, com bons pontos de descanso até 2/3 da via, o que te deixa bastante tempo na parede. Precisei de quase uma hora para me recuperar e no fim do dia, após várias cadenas da Fogo nos Zoio (7c), com a Glauce me passando todos os movs ao vivo, fechei o dia com o flash da via!

No sábado, como na sexta-feira a Glauce caiu indo para a última agarra da Olhos de Fogo (8a), na tentativa do seu primeiro 8o, decidimos voltar aos Olhos para ela tentar a cadena. Disse que ela tinha duas tentativas para mandar a via, mas uma apenas foi necessária e para a alegria geral, Glauce quebrou a barreira do 8º grau, parabéns!

Glauce Ibraim na cadena da via Olhos de Fogo (8a), Falésia dos Olhos, Paraisópolis, SP. Foto: Bianca Castro.

Resolvi tentar a Olhos de Fogo também e passando dos regletinhos do início, foi só administrar para mais uma vez a Glauce me passar todos os movs eu tirar a via de flash.

Com o dever cumprido nos Olhos, fomos para a Pedra da Divisa. Chegando lá, ainda não tinha decidido qual via escalar, quando a Lais Akamine colocou pilha para eu entrar na Parasita (9a). Fiquei na dúvida se entrava ou não pelo fato de a via ser só regletes, mas felizmente dei um pega, isolando todos os movimentos, e desci da via muito feliz com a sua qualidade, incrível demais! Ganhei o feriado só de conhecê-la. No segundo pega, caí logo depois da saída da fissura de (des)canso, descansei só um pouco, pois queria fazer a segunda metada da via cansada, e consegui mandar com uma queda!

Eu no início esquisito da via Parasita (9a), Pedra da Divisa, São Bento do Sapucaí, SP. Foto: Lais Akamine.

No domingo, acordamos mais tarde e fomos para a Divisa de novo, pois todos tinhamos deixado projetos lá. Repeti a Kalya (7c) para me fixar e tirar fotos da galera, mas durante a operação começou a chover e não pude tentar a Parasita novamente. Vai ficar para a próxima vez, que, infelizmente, ainda não sei quando será.

Sebastian Gaus na via Kalymaia (8b), Pedra da Divisa, São Beto do Sapucaí, SP. Foto: Bianca Castro.

Malte Heuer na via Kalya (7c), Pedra da Divisa, São Beto do Sapucaí, SP. Foto: Bianca Castro.

O feriado foi sensacional com amigos, dias intermináveis, fotos, muita escalada e cadenas! Daqui a pouco estou indo treinar (viajo para a Argentina semana que vem!) e depois vai rolar a apresentação do filme Reel Rock 7!