Reflexões sobre Escalada Esportiva

Arquivo para janeiro, 2013

Um Fim de Semana Atípico

Este foi um fim de semana atípico. Não que eu tenha ido à praia ou fazer alguma trilha, estava cansada e não queria escalar, mas pelo fato de sábado de manhã, ao acordar, sabendo que havia chovendo a semana inteira, eu não decidi ir escalar no Platô da Lagoa, pico de vias esportivas no Rio de Janeiro, cuja maior característica, além de ser bem abrasivo, é secar rápido. Decidi ir à Urca fazer boulder.

Acho que ano passado fui à rocha fazer boulder umas cinco vezes apenas. Desde que eu voltei a escalar, tenho preferido fazer vias esportivas, mas no sábado passado resolvi dar um chance e relembrar o ano de 2004, quando eu costumava optar pelos boulders da Urca, por sua praticidade.

Marquei de me encontrar lá com a companheira de equipe Glauce Ibraim, que estava desde cedo no pico junto com Luana Riscado e Gustavo “Cocota”, de Minas Gerais, e fui com os já quase cariocas Malte Heuer e Richard Steidel.

Nos encontramos no bloco do Mandrake, localizado no Setor Mar, onde a Lulu estava tentando o boulder que dá nome ao setorzinho, Mandrake (V8). Descemos mais um pouco para o mar e apresentei a eles dois dos boulders que eu mais gosto na Urca, o Ouriço (V5) e Sexto é o C****** (V4). Entrei nos dois boulders e repeti ambos no primeiro pega.

Logo em seguida, os irmãos Gomes, Caio e Pedro, apareceram depois de conferirem que as condições do bloco do Macumba estava uma porcaria. É realmente difícil escalar no Rio durante o verão, o grip aqui é muito ruim, ou como acho que o Caio comentou: o grip está ótimo, ótimo para ir embora!

Mas não desisti. Depois de repetir os boulders acima, resolvi tentar um velho projeto, o Lothar (V7), variação do Mandrake. Apresentei o boulder para os irmãos Gomes e, para minha surpresa, mandei no primeiro pega! Incrível demais, meu primeiro V7 saiu muito sólido e ainda repeti para tirar foto!

Lothar (V7), Urca, Rio de Janeiro. Foto: Pedro Gomes.

Lothar (V7), Urca, Rio de Janeiro. Foto: Pedro Gomes.

Em seguida, dei um pega no Mandrake (v8), mas sem sucesso, ficou de projeto para uma outra vez que eu tenha um surto boulderístico tipo o que se passou neste final de semana.

Fui então tentar repetir o Esquina do Gringo (V6), enquanto esperava a Glauce e Lulu voltarem do almoço para mostrar um tetinho que tinham comentado. Em duas tentativa, repeti o Esquina também, boulder que eu tinha encadenado em 2004, no auge dos meus 15 anos!

Do fundo do baú, Bianca Castro no boulder Esquina do Gringo (V6), Urca, Rio de Janeiro. Foto: Arquivo pessoal.

Do fundo do baú, Bianca Castro no boulder Esquina do Gringo (V6), Urca, Rio de Janeiro. Foto: Arquivo pessoal.

Para gastar as últimas energias, fui conhecer o tal tetinho incrível. O boulder era realmente muito legal e foi o que eu tive mais trabalho para mandar. O boulder se chama Teto (V4/V5) e foi perfeito para finalizar mais um dia incrível de escalada com os amigos.


Equipe Evolução

Já passamos do meio de janeiro e, como eu estava com muita coisa na cabeça, não estava com muita vontade de escrever aqui, mas um motivo muito especial me fez animar de novo:

O Muro de Escalada Evolução agora tem uma equipe! Acho que equipe é um coletivo e como antes somente eu era Atleta Evolução, acho não poderia ser considerado como uma equipe, mas agora somos uma dupla!

A minha parceria com o Evolução começou no meio do semestre do ano passado e tenho certeza que muitas coisas boas virão deste trabalho em conjunto. Agradeço ao Alexandre Magalhães pela confiança e espero retribuir à altura!

A equipe, 100% feminina, é formada por mim e pela grande amiga e já antes companheira de treinos e viagens, Glauce Ibraim. Fiquei muito feliz com a notícia, pois já tem uns meses que treinamos juntas e a Glauce é uma das pessoas mais motivadas e motivantes para escalar que eu conheço! Nos treinos e na pedra, está sempre mandando aquele kmon nas horas de incerteza e cansaço. Mesmo não precisando, este é mais um motivo para treinarmos juntas! Parabéns, amiga!

Vamos a uma rápida ficha técnica das Atletas Evolução:

Glauce Ibraim

Glauce Ibraim na cadena da via Olhos de Fogo (8a), Falésia dos Olhos, Paraisópolis, Minas Gerais. Foto: Bianca Castro.

Glauce Ibraim na cadena da via Olhos de Fogo (8a), Falésia dos Olhos, Paraisópolis, Minas Gerais. Foto: Bianca Castro.

Idade: 28 anos.

Profissão: Geóloga.

Há quanto tempo escala: 3 anos e meio.

Qual a via/boulder de maior graduação encadenada na rocha: via Olhos de Fogo (8a), na Falésia dos Olhos, Paraisópolis, e o boulder Alice (V5), em São Bento do Sapucaí.

Melhor colocação em campeonato: 1º lugar da Categoria Amadora no Ranking Brasileiro de Boulder de 2012.

Expectativas como Atleta Evolução: com a parceria, a motivação aumenta, juntamente com a qualidade do treino e do que ele me proporciona, como consciência corporal, força e leitura. Evoluindo na escalada, me sinto à vontade para difundir o esporte e me entregar cada vez mais ao que se tornou um estilo de vida.

Objetivos para 2013: o objetivo maior é a EVOLUÇÃO, quero consolidar o oitavo grau nas vias, atingir o V6 nos boulders e escalar tradicionais incríveis. Viajar e escalar são os dois verbos de comando, é o que me faz bem! 2013 será mais um ano de trips, festivais, campeonatos… Quero escalar em todo tipo de rocha, com movimentações diferentes, problemas e ensinamentos distintos em vários picos espalhados não só pelo Brasil, mas pelo mundo!

Bianca Castro

Bianca Castro fazendo o FFA da via Sequelados, Grupo 3, Serra do Cipó, Minas Gerais. Foto: Alexander Gessner.

Bianca Castro fazendo o FFA da via Sequelados, Grupo 3, Serra do Cipó, Minas Gerais. Foto: Alexander Gessner.

Idade: 24 anos.

Profissão: Advogada.

Há quanto tempo escala: 15 anos.

Qual a via/boulder de maior graduação encadenada na rocha: Religare (9b), Primatas, Rio de Janeiro, e Gillete (V6/V7), em São Bento do Sapucaí.

Melhor colocação em campeonatos recentes: 1º lugar no Campeonato de Boulder Evolução, em 2012.

Expectativas como Atleta Evolução: como Atleta Evolução sei que terei sempre um espaço de qualidade para treinar e aprimorar minha escalada, o que para mim é o mais importante.

Objetivos para 2013: treinar muito para evoluir tanto na escalada em rocha quanto em campeonatos – aparentemente este ano terão vários! Consolidar de vez o nono grau nas vias e melhorar minha graduação em boulder  – mas para isso você precisa fazer boulder, né, Bianca?Este ano quero viajar o máximo possível, conhecer picos novos e retornar aos já conhecidos e adorados!

A equipe está montada e muito motivada, let’s go climb! Se as chuvas de verão permitirem..