Reflexões sobre Escalada Esportiva

Arquivo para março, 2014

Associação Brasileira de Escalada Esportiva

Ouvindo os anseios da comunidade escaladora, grandes nomes da escalada esportiva brasileira se reuniram para mudar o rumo da escalada de competição no país e criar a Associação Brasileira de Escalada Esportiva – ABEE.

ABEE

É com muito orgulho que, juntamente, com Janine Cardoso, Raphael Nishimura, Thais Makino, Cesar Grosso, Alê Cardoso, entre outros escaladores, faço parte desta iniciativa que tem como objetivo fomentar a escalada esportiva de competição no Brasil, realizando duas etapas de Campeonato Brasileiro – reconhecidas pela IFSC, órgão máximo de escalada de competição no mundo – e formar um time nacional para competir no exterior.

Sabemos que o desafio é grande, mas já estava na hora de os escaladores esportivos participarem mais diretamente no desenvolvimento da escalada no Brasil e, com este pensamento em comum, que decidimos criar a ABEE, associação que nos representará em âmbito nacional de agora em diante. Por isso, precisamos da ajuda de todos os que se identificarem com a causa!

Os trabalhos já começaram e devemos divulgar as etapas do Campeonato Brasileiro de Dificuldade e Boulder até o fim de abril, juntamente com todas as novidades!

Esta maravilhosa notícia já foi divulgada no blog da Jan (belo texto, vale a leitura), Rapha e Thais, confiram!

Apesar do grande envolvimento com a ABEE nas últimas semanas, este  final de semana que foi dedicado à escalada em rocha! Fui para São Bento do Sapucaí e a via da vez foi a Sierra Maestra (9a), localizada no setor Comunistas, na Pedra da Divisa, a qual começa em um toca toca de agarras boas, mas distantes, até um descanso antes de um movimento bem esticado de ombro (lindo!). Me apaixonei pelo movimento, o qual se tornou o desafio da cadena. Quando consegui executá-lo na sequência, a cadena saiu! Confiram algumas fotos tiradas pelo Reynaldo Pires, companheiro mor de idas a São Bento:

Sierra Maestra 01Sierra Maestra 02

Crux!

Crux lindo e hard!

 


Italianos

Acordei no último sábado antes das 5 horas da manhã para o início, e fim, da minha temporada de escalada tradicional em 2014. Conforme havia contado no último post, combinei com a Suzana Hinds de fazer a Via dos Italianos (5º, Vsup, E1/2, 100 metros), localizada no Pão de Açúcar, durante Invasão Feminina. Foi conosco o Clark Eising, meu boss da 5.10, e Bianca Prado, que tem o mesmo nome, mesma profissão e trabalha no mesmo setor que eu!

Nos encontramos por volta de 6h15 na Urca e fomos em direção à base da via. Não sei que horas chegamos lá, mas já tinha uma cordada na nossa frente. A ideia era escalar toda a Italianos, que termina em um platô, e em seguida fazer cume pela via Secundo, totalizando uns 260 metros de escalada.

Eu e Suzana Hinds logo antes de iniciarmos a Italianos (5º Vsup 100 metros), Pão de Açúcar, Rio de Janeiro. Foto: Bianca Prado.

Eu e Suzana Hinds logo antes de iniciarmos a Italianos (5º, Vsup, E1/2, 100 metros), Pão de Açúcar, Rio de Janeiro. Foto: Bianca Prado.

Combinei com a Su de ir guiando o que dava, especialmente pela dor absurda que sinto nos pé, devido à falta de costume de escalar em positivo, o que me fazia não pensar em nada além de chegar na próxima parada! Fomos escalando devagar, relaxamos nos platôs, o que fez com que a gente demorasse bastante e fossemos alcançados pelo sol logo no início da transição para a Secundo.

O calor castigou, mas gostei da escalada. No final, guiei todas as nove enfiadas praticamente à vista, o que foi bem legal! Entretanto, me perdi no final da oitava enfiada e fui penalizada com um arrasto absurdo, sorte que era um trecho bem fácil até um platozão, onde descansamos e aguardamos o Clark e a Bianca para fazer a última enfiada, sob sol intenso!

Vista do Platô da última parada antes do cume do Pão de Açúcar pela via Secundo. Foto: Suzana Hinds.

Vista do Platô da última parada antes do cume do Pão de Açúcar pela via Secundo. Foto: Suzana Hinds.

Foto: Suzana Hinds.

Foto: Suzana Hinds.

Descemos de bondinho até o Morro da Urca, mas para a minha tristeza tivemos que descer pela trilha a partir de lá. Por isso, nos atrasamos para o encontro da Invasão Feminina e não ganhei nada no sorteio, mas soube que foi um sucesso – 231 mulheres assinaram o livro rosa – e pude rever escaladoras que não via tinha tempo!

Escalar a Italianos foi bem cansativo, mas ao mesmo tempo realizador por ser uma via clássica que qualquer escalador do Rio, principalmente, e do Brasil tem a obrigação de que fazer, terminando no cume do Pão de Açúcar. E guia-la toda foi ainda mais especial! Obrigada, Su, pelo convite, Clark e Bianca pela parceria.

Próxima parede ainda este ano ou tradicionalmente somente no ano que vem?


Invasão Feminina

Tradicionalmente, ocorre todos os anos na Urca, Rio de Janeiro, a Invasão Feminina, em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres. Este ano, o evento será no próximo sábado, dia 15 de março, e as mulheres se reúnem para escalar e confraternizar, além de rolar sorteio de diversos prêmios.

Normalmente eu só vou para a confraternização, pois não sou muito fã de escalada tradicional (tenho uma meta de fazer uma escalada tradicional por ano), mas desta vez aceitei o convite da amiga Suzana Hinds e vamos fazer a Via dos Italianos (5º, Vsup, 100 metros).

Invasão Feminina

Estou bastante animada para fazer a Italianos, principalmente por ser uma vergonha eu, escaladora carioca há mais de 16 anos, nunca ter escalado uma das vias mais clássicas, se não a mais clássica, da Urca e talvez até do Rio de Janeiro.

Ainda esta semana, saiu a entrevista que dei para o site Mulheres na Montanha, as mesmas organizadoras da Invasão Feminina, que pode ser conferido aqui.

Assumo que tenho estado ausente, mas o ritmo de trabalho está intenso e não tenho grandes novidades. Resumindo um pouco o que foram os últimos dois meses, estou novamente apaixonada pela via Migalhas Indecentes (9c), localizada no Campo Escola 2000, na Floresta da Tijuca. A via pode ser dividida em duas partes: um 9a, que eu já devo ter repetido umas 10 vezes, e depois uma travessia de abaulados sem proteção até o final da via Coquetel de Energia (10c). Meu foco agora é total nessa via e, a cada entrada, aperfeiçoo mais os movimentos da travessia e perco o medinho da exposição.

Migalhas Indecentes (9c), Campo Escola 2000, Rio de Janeiro. Foto: Raissa Dias.

Migalhas Indecentes (9c), Campo Escola 2000, Rio de Janeiro. Foto: Raissa Dias.

Em paralelo ao projeto, apesar de ter parado de escalar dez dias durante o Carnaval, por motivos alheios a minha vontade, finalizei o ciclo de treinamento de continuidade e retornei à força, voltando, após meses,  a fazer boulder. Na verdade, durante o treino de continuidade, mantive com um exercício de força e barras, então pude notar que, felizmente, minha performance em boulder quase não se alterou apesar dos meses sem fazê-lo.

Com os vários feriados em vista, agora é treinar, treinar, treinar e não se lesionar!