Reflexões sobre Escalada Esportiva

Arquivo para janeiro, 2015

O Inominado

No ano passado inteiro, consegui treinar forte sem ter sofrido nenhuma lesão grave, que me impossibilitasse de treinar da maneira desejada. Além de ter iniciado uma rotina de exercícios funcionais para ganhar condicionamento físico com meu noivo Matteo, mudei radicalmente minha alimentação tem dois meses e agora adoto uma dieta totalmente sem açúcar e com pouquíssimo carboidrato (todos os grãos foram excluídos da alimentação, cabo somente tapioca e batata doce para treinar), baseada principalmente em verduras, proteína e gordura (minha nova fonte de energia!). A dieta chama-se paleo/low-carb e sua ideia é totalmente contrária ao conhecimento que a massa tem sobre nutrição, mas com acompanhamento de uma nutricionista esportiva, os resultados estão aparecendo.

Logo no início, ainda no processo de adaptação, fui campeã brasileira de dificuldade e consegui cadenas importantes das vias Epitáfios das Ilusões (9c) e Transamazônia (10a). Como a nova alimentação ainda era recente, não posso dar muito mérito a ela, mas sim às sessões incansáveis de treinamento e à abdicação à cerveja – estou sem beber um gole de cerveja há dois meses e quem me conhece sabe o quanto isso era inimaginável.

Entretanto, no fim de 2014, comecei a ver a diferença dessa combinação de um bom ano de treino e uma alimentação paleo/low-carb. Engraçado que até você se testar de verdade, não consegue ver o quanto é capaz ou pode ser. E o marco para mim foram as investidas no boulder da extensão da via Coquetel de Energia (10c), a partir da via Migalhas Indecentes (9c), sendo graduado em um possível 10b a Migalhas Indecentes Extensão.

O fato específico foi eu quase ter conseguido isolar o boulder da maneira antiga, pelos regletinhos da esquerda, que deve ser graduado em V10/11. O boulder me parecia bem difícil, mas a graduação me surpreendeu e comecei a pensar que devia tentar vias mais difíceis, como por exemplo, a própria Coquetel de Energia e que talvez estivesse na hora de tentar o boulder  Inominado (V11), o qual eu havia segurado as agarras há dez anos atrás, só de brincadeira, mas que sempre foi meu sonho conseguir escalá-lo.

O plano para a virada do ano, na verdade, era viajar para a Serra do Cipó, mas de última hora tive que cancelar a viagem por causa de trabalho. Há males que vêm para o bem, como se diz por aí, e fiquei no calor carioca mesmo.

Assim, no quentíssimo primeiro dia deste ano, fui com o Matteo e mais uma galera fazer boulder na Urca, no fim da tarde. Depois de anoitecer, fomos junto com a Erin e o Zamith dar uma conferida no Inominado. Eu fiquei extremamente surpreendida com o resultado, pois dei uns pegas para provar os movimentos e acertar os pés, descansei um pouquinho e, no primeiro pegar para cadena, eu mandei o boulder, com direito a filmagem e tudo!

Não sou muito dedicada à prática de boulder e antes deste, o boulder mais difícil que eu havia encadenado tinha sido um V8, por isso fiquei ultra surpresa com a cadena, que foi o primeiro V11 escalado por uma mulher brasileira! Obrigada, Matteo, por estar sempre ao meu lado nas vitórias, mas principalmente durante o processo desgastante que levou a elas! E valeu galera por todo o carinho e palavras de incentivo!

Esta cadena me deu a confiança que eu precisava para no último domingo tentar a Coquetel de Energia, primeiro 10c brasileiro, localizada no Campo Escola 2000, pico que eu mais tenho frequentado nos últimos tempos.

As condições estavam extremamente péssimas, muito quente e com grip horroroso, a rocha estava muito babada! Mas consegui isolar relativamente rápido todos os movimentos da via, o que me deixou bastante feliz, além de o Pedro Cyrino ter tirado essas fotos super legais!

Coquetel 01

Coquetel 02

Coquetel 03

Coquetel 04

Coquetel 05

Com todo o progresso que tive em 2014, eu começo 2015 super motivada para manter a rotina que funcionou muito bem no ano passado. Fácil não é, mas é bem recompensante e com o apoio do Matteo, da minha família, dos amigos da vida e do climb e marcas que acreditam em mim – CAMP, Cassin, Deuter, Edelweiss, Evolução, Five Ten e Verticale -, fica mais de boa!